Vagas de Emprego 2016: Lar



Você jovem, já pensou em começar sua carreira em uma das maiores empresas do Brasil? Então confira como inscrever-se a uma vaga de Emprego na Lar 2016.

Como se inscrever a uma vaga de emprego na Lar

Se você se interessou e quer se inscrever na Vaga de Emprego 2016 Lar, siga os seguintes passos:

Clique aqui, acesse o site da Lar,  e cadastre seu currículo.

Sobre a Lar

A Cooperativa Agroindustrial Lar foi fundada em 19 de março de 1964, na antiga Gleba dos Bispos, hoje Missal, por um grupo de 55 agricultores, migrantes dos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina de descendência alemã e praticantes da religião católica.

Praticamente no meio do mato, entre tocos de paus, sangas profundas, rios que não davam passo, estradas barrentas e esburacadas, longe da assistência médica, tendo como sede uma meia-água, os cooperativistas deram o primeiro nome para associação de Cooperativa Mista Agrícola Sipal Ltda., Comasil, e seu primeiro presidente Pe. José Backes, que também foi colonizador da Gleba dos Bispos (Missal).

O primeiro escritório que, além de sede administrativa, uma espécie de venda ou bolicho onde se comercializava um pouco de tudo: querosene, tecidos, bebidas, remédios, prego, corda, corrente, arame e até munição usada na caça que era abundante e farta.

Os colonos criavam suínos, plantavam milho, feijão, arroz, mandioca e alguns grãos de soja. A extração da madeira – lapacho, peroba, angico - e do palmito proporcionavam uma renda extra. Para gerenciamento, organização e legalização da Comasil agricultores foram buscar em vila Pinheiro Machado, no município de Cerro Largo (RS), o professor primário Ignácio Aloysio Donel, que esteve no comando dos destinos da Cooperativa durante 26 anos.

Donel também organizou a primeira AGO, realizada em 16 de janeiro de 1966, ocasião que foi eleito o segundo presidente, Elmundo Brod, que é também o associado 01. Na antiga vila de Missal, pertencente ao município de Medianeira, a Comasil deu os primeiros passos rumo a agroindustrialização com a construção de uma prensa para soja, moinho de trigo, fubá e descascador de arroz.

Também foram adquiridos os primeiros veículos, embriões do que é a Lar Transporte, hoje com uma frota de 569 veículos entre utilitários, graneleiros, bitrens, entre outros.

Projeto Iguaçu e transferência da Comasil para Medianeira

No ano de 1970, havia uma certa “confusão” no setor cooperativista. Existiam cooperativas inviáveis, interesses conflitantes, disputa pela área de atuação e questões de logística e localização.

Havia a necessidade imperiosa de um novo direcionamento. Para resolver o impasse, surge o Projeto Iguaçu de Cooperativismo - PIC - que analisou a realidade socioeconômica de 51 municípios da área de atuação de 13 cooperativas do Oeste e Sudoeste do Paraná. O PIC concluiu que a Comasil como estava não poderia continuar.

Contava com 126 sócios, dificílimo acesso, falta de infraestrutura e localização perto do isolamento. Ou mudava de endereço ou estava condenada ao fechamento. A opção encaminhada pelos fundadores foi a transferência da sede de Missal para Medianeira.

Também o PIC previa a construção de armazéns graneleiros, e em 1972 tem início a fase da edificação de grandes obras. Armazéns com capacidade de 100, 250 e 500 mil sacas são construídos em Medianeira. Em menor escala o mesmo aconteceu em São Miguel e Santa Helena.

Em 1973, o número de sócios saltava extraordinariamente para 1.414 e neste mesmo ano a sigla Comasil deixa de existir. Agora é Cotrefal – Cooperativa Agropecuária Três Fronteiras Ltda. No período de 1975 até 1980, a Cotrefal passa por momentos difíceis devido à frustração de safras, instabilidade de preços, falência do frigorífico Frimesa e disputas internas pelo poder, que levaram Luiz Bonatto a ocupar os cargos de prefeito e presidente da Cooperativa simultaneamente.

O caos administrativo e financeiro gerado pelos diretores do grupo Ruaro (Alfredo Paschoal Ruaro, o maior colonizador do Oeste do Paraná) dono da Frimesa – Frigorífico Medianeira -, foi a falência em 1977. A crise que afetou diretamente os suinocultores levou as lideranças cooperativistas a optar pela aquisição da massa falida do frigorífico em Medianeira. Surge a Central Sudcoop, Cooperativa Agropecuária Sudoeste Ltda., hoje Frimesa, tendo a Cotrefal como uma das filiadas e, no embalo do negócio, a Cotrefal compra a Oleolar, também do grupo Ruaro, em Céu Azul, dando início ao ciclo da industrialização e o ponta pé inicial de fixação da marca LAR. Estes fatos aconteceram no ano de 1980, quando a Cooperativa já tinha 3.161 associados.

E também neste ano surge o Informativo Cotrefal, jornal bimestral até a edição 209, sendo substituído pela Revista da Lar a partir de 2006, com distribuição gratuita e tiragem de 5.000 exemplares, disponível no site www.lar.ind.br, imprensa, revista.

Formação de lideranças, supermercados e jubileu da Cotrefal

Sendo a Cooperativa uma associação de pessoas onde o lema basiLar sempre foi “um por todos, todos por um”, nos anos 1980 é digno de nota a presença e consolidação dos Comitês Educativos, centros democráticos de formação de lideranças e repasse de informações técnicas com a participação de associados e familiares.

Promoções esportivas como as olimpíadas rurais ganham força, corpo e presença. A partir de 1983, a novidade é o Supermercado Cotrefal, um investimento realizado em 13 municípios da área de abrangência da Cooperativa, contando hoje com 15 lojas. Agora chegamos ao ano de 1986, quando é assinado convênio Cotrefal-Unimed pelo qual são prestados serviços de atendimento médico hospitaLar aos funcionários.

Em 2014, o convênio atende 2.725 usuários. Além da assistência médica, a Cooperativa Lar contempla os funcionários com uma cesta básica mensal, 14ª salário e mantém constantes cursos de treinamentos profissionais. Em março de 1989, a Cotrefal realiza sua maior Assembleia. É a festa dos 25 anos de fundação. O Jubileu de Prata.

Pioneiros são homenageados, Dom Olívio Aurélio Fazza celebra a missa. Uma equipe de 500 funcionários prepara o almoço para mais de 8.000 pessoas que tiveram à disposição para saborear exatamente 8.134 quilos de carne assada. Foi uma festa a altura de uma grande empresa que anos seguintes passaria por profundas e modernas transformações.
Reordenamento administrativo e expansão da Lar
Foi a partir do momento que Ignácio Donel entregou o poder para o engenheiro agrônomo Irineo da Costa Rodrigues que o processo industrial ganhou corpo. Transição democrática, pacífica e necessária realizada ‘a céu aberto’ na Assembleia Geral realizada em março de 1991. Passo seguinte, o novo Diretor-presidente executou um arrojado novo organograma administrativo. Foram extintas quatro superintendências e quatro gerências de divisão. No total, o enxugamento representou o fim de 14 cargos de chefia.

Com o reordenamento da máquina administrativa, a Cooperativa seguiu pela marcha inexorável rumo a um novo horizonte no campo da agroindustrialização, que estava aberto e precisava ser ocupado. E foi. Em 1994 entra em funcionamento a Fecularia, no distrito de Dom Armando, Missal. Quatro anos após a inauguração da Unidade Industrial de Mandioca, o jovem município de Itaipulândia é contemplado com a Unidade Industrial de Vegetais que teve descontinuidade de funcionamento em 2012.

Em 1999 entra em operação a Unidade Industrial de Aves, na localidade de Agrocafeeira, município de Matelândia, frigorífico moderno que junto com a Unidade Industrial de Carnes, ambos empregam mais de 5 mil pessoas, tem capacidade de abate de 340 mil frangos/dia. Finalmente, em 2001, a Cotrefal deixa de existir.

Agora é Cooperativa Agroindustrial Lar, empresa que, em 2015 teve um faturamento de mais de R$ 4 bilhões (crescimento de 31,15 %) e empregou 8.707 funcionários e tem na base um quadro de 9.900 associados. Os produtores foram contemplados com a devolução de sobras superiores a 73,7 milhões de reais, entre agricultores ativos e jubilados. A marca Lar está presente em aproximadamente 300 produtos (enlatados, congelados, cortes de frangos, além dos grãos: milho e soja) e as exportações chegam na América, Europa, Ásia, e nos países árabes.

As unidades da Lar estão presentes em 11 municípios do Oeste do Paraná, Leste do Paraguai (10 unidades), em Mato Grosso do Sul, com sede em Dourados e mais 13 unidades e, em Santa Catarina, no município de Xanxerê para produção de sementes. Para 2016 o faturamento previsto é de R$ 5 bilhões.



Lei da Aprendizagem

Nº 10.097/2000, ampliada pelo Decreto Federal nº 5.598/2005. Determina que todas as empresas de médio e grande porte contratem um número de aprendizes equivalente a um mínimo de 5% e um máximo de 15% do seu quadro de funcionários cujas funções demandem formação profissional.

No âmbito da Lei da Aprendizagem, Jovem aprendiz é o jovem que estuda e trabalha, recebendo, ao mesmo tempo, formação na profissão para a qual está se capacitando. Deve cursar a escola regular (se ainda não concluiu o Ensino Médio) e estar matriculado e frequentando instituição de ensino técnico profissional conveniada com a empresa.

Como se inscrever no Jovem Aprendiz 2017

Cada empresa tem sua forma de inscrição. Clique aqui e digita o nome de sua cidade, ou empresa e veja vagas abertas próximo a você!