Jovem Aprendiz Eletrobras 2016 - Inscrições dia 17 de Agosto

Jovem Aprendiz Eletrobras 2016


A Eletrobras Termonuclear, divulgou uma ótima oportunidade para os jovens (Processo seletivo Eletrobras-RJ 2016 – Jovem Aprendiz). Foi divulgado abertura de edital para preencher 22 vagas para o cargo de Operador de Computador. O Estágio acontecerá no SENAI.

Requisitos do Jovem Aprendiz Eletrobras 2016:

Para concorrer a uma das vagas, o candidato deverá ter entre 14 e 24 anos, estar no ensino fundamental (8ª série) ou médio concluído. Além disso, desenvolvimento físico, moral e psicológico são requisitos para participar do certame. A jornada será de 04 horas diárias.

A remuneração é de um salário mínimo (piso regional) e haverá benefícios como auxílios transporte, refeição ou alimentação. As jornadas serão desempenhadas em 4 horas diárias, totalizando 20 horas semanais.

 

Como se inscrever e concorrer a uma vaga de Jovem Aprendiz Eletrobras 2016:

Neste momento estão abertas as inscrições no Rio de Janeiro. As inscrições no Processo seletivo Eletrobras-RJ 2016 – Jovem Aprendiz serão realizadas somente em 17 de agosto de 2016, das 09 às 16h, na Rua Esteves Junior, n. 47, Laranjeiras, Rio de Janeiro, RJ – SENAI.

Avaliação

Os inscritos serão avaliados por prova escrita, a serem aplicadas em 26 de agosto de 2016, às 09h30. O resultado será divulgado em 1º de setembro.


Confira aqui o edital.

Sobre A Eletrobras:

Maior companhia do setor de energia elétrica da América Latina

A Eletrobras é uma empresa de capital aberto, controlada pelo governo brasileiro. Com foco em rentabilidade, competitividade, integração e sustentabilidade, a companhia lidera um sistema composto de subsidiárias que atuam nas áreas de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica, uma empresa de participações (Eletrobras Eletropar), um centro de pesquisas (Eletrobras Cepel) e metade do capital de Itaipu Binacional.

A criação da Centrais Elétricas Brasileiras S.A. (Eletrobras) foi proposta em 1954 pelo presidente Getúlio Vargas. O projeto enfrentou grande oposição e só foi aprovado após sete anos de tramitação no Congresso Nacional. Em 25 de abril de 1961, o presidente Jânio Quadros assinou a Lei 3.890-A, autorizando a União a constituir a Eletrobras. A instalação da empresa ocorreu oficialmente no dia 11 de junho de 1962, em sessão solene do Conselho Nacional de Águas e Energia Elétrica (CNAEE), no Palácio Laranjeiras, no Rio de Janeiro, com a presença do presidente João Goulart (foto).

A Eletrobras recebeu a atribuição de promover estudos, projetos de construção e operação de usinas geradoras, linhas de transmissão e subestações destinadas ao suprimento de energia elétrica do país. A nova empresa passou a contribuir decisivamente para a expansão da oferta de energia elétrica e o desenvolvimento do país.

As reformas institucionais e as privatizações na década de 1990 acarretaram a perda de algumas funções da estatal e mudanças no perfil da Eletrobras. Nesse período, a companhia passou a atuar também, por determinação legal e transitoriamente, na distribuição de energia elétrica, por meio de empresas nos estados de Alagoas, Piauí, Rondônia, Acre, Roraima e Amazonas.

Em 2004, a nova regulamentação do setor excluiu a Eletrobras do Programa Nacional de Desestatização (PND). Atualmente, a companhia controla 14 subsidiárias que atuam nas áreas de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica – Eletrobras CGTEE, Eletrobras Chesf, Eletrobras Eletronorte, Eletrobras Eletronuclear, Eletrobras Eletrosul, Eletrobras Furnas, Eletrobras Amazonas GT, Eletrobras Distribuição Acre, Eletrobras Distribuição Alagoas, Eletrobras Distribuição Amazonas, Eletrobras Distribuição Piauí, Eletrobras Distribuição Rondônia, Eletrobras Distribuição Roraima e Celg Distribuição –, uma empresa de participações (Eletrobras Eletropar), o Centro de Pesquisas de Energia Elétrica (Eletrobras Cepel, o maior do ramo no hemisfério Sul) e ainda detém metade do capital de Itaipu Binacional, em nome do governo brasileiro.


Lei da Aprendizagem

Nº 10.097/2000, ampliada pelo Decreto Federal nº 5.598/2005. Determina que todas as empresas de médio e grande porte contratem um número de aprendizes equivalente a um mínimo de 5% e um máximo de 15% do seu quadro de funcionários cujas funções demandem formação profissional.

No âmbito da Lei da Aprendizagem, Jovem aprendiz é o jovem que estuda e trabalha, recebendo, ao mesmo tempo, formação na profissão para a qual está se capacitando. Deve cursar a escola regular (se ainda não concluiu o Ensino Médio) e estar matriculado e frequentando instituição de ensino técnico profissional conveniada com a empresa.

Como se inscrever no Jovem Aprendiz 2017

Cada empresa tem sua forma de inscrição. Clique aqui e digita o nome de sua cidade, ou empresa e veja vagas abertas próximo a você!