Concurso Público Fiocruz 2016: 20 vagas - Sálario de R$ 2.313,61

Concurso Público Fiocruz 2016: 20 vagas - Sálario de R$ 2.313,61 - 5.0 de 5 totalizada em 7 Notas

Votos do utilizador: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Gostaria de inscrever a uma vaga de concurso da Fiocruz em 2016? Confira  como se inscrever no concurso Fiocruz 2016.

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) informa a todos por meio de publicação no Diário Oficial da União que está realizando um novo concurso público. O objetivo é contratar 21 profissionais para o cargo de Assistente Técnico de Gestão em Saúde, na Carreira de Suporte à Gestão em Ciência e Tecnologia, Produção e Inovação em Saúde Pública.

Como se inscrever a uma vaga no Concurso Fiocruz 2016:

Para se inscrever é necessário que o candidato tenha ensino médio completo e disponibilidade para atuar em jornada de 40h semanais. O salário básico é de R$ 2.313,61, acrescido ainda de auxílio alimentação no valor de R$ 458,00 e demais gratificações como consta no edital.

As oportunidades estão distribuídas nas cidades de Rio de Janeiro - RJ, Belo Horizonte - MG, Brasília - DF, Curitiba - PR, Manaus - AM, Recife - PE, e Salvador - BA.

Se você atende aos requisitos exigidos e deseja participar, realize a inscrição pela Internet, no endereço eletrônico www.concurso.fiotec.fiocruz.br, entre os dias 04 de julho de 2016 a 08 de agosto de 2016. Não se esqueça de pagar a taxa de R$ 70,00, por meio de boleto.


ATENÇÃO! Antes de Se Inscrever compartilhe essa oportunidade.

Este Concurso Público é composto de Prova Objetiva e será realizado nas cidades citadas, prevista para acontecer em 25 de setembro de 2016.

A prova será composta de 60 questões de múltipla escolha, sendo 20 questões de Língua Portuguesa, 10 questões de Raciocínio Lógico e 30 questões de Conhecimentos Específicos.

Sobre a Fiocruz

A história da Fundação Oswaldo Cruz começou em 25 de maio de 1900, com a criação do Instituto Soroterápico Federal, na bucólica Fazenda de Manguinhos, Zona Norte do Rio de Janeiro. Inaugurada originalmente para fabricar soros e vacinas contra a peste bubônica, a instituição experimentou, desde então, uma intensa trajetória, que se confunde com o próprio desenvolvimento da saúde pública no país.

Pelas mãos do jovem bacteriologista Oswaldo Cruz, o Instituto foi responsável pela reforma sanitária que erradicou a epidemia de peste bubônica e a febre amarela da cidade. E logo ultrapassou os limites do Rio de Janeiro, com expedições científicas que desbravaram as lonjuras do país. O Instituto também foi peça chave para a criação do Departamento Nacional de Saúde Pública, em 1920.

Durante todo o século 20, a instituição vivenciou as muitas transformações políticas do Brasil. Perdeu autonomia com a Revolução de 1930 e foi foco de muitos debates nas décadas de 1950 e 1960. Com o golpe de 1964, foi atingida pelo chamado Massacre de Manguinhos: a cassação dos direitos políticos de alguns de seus cientistas. Mas, em 1980, conheceu de novo a democracia, e de forma ampliada.

Na gestão do sanitarista Sergio Arouca, teve programas e estruturas recriados, e realizou seu 1º Congresso Interno, marco da moderna Fiocruz. Nos anos seguintes, foi palco de grandes avanços, como o isolamento do vírus HIV pela primeira vez na América Latina.

Já centenária, a Fiocruz desenha uma história robusta nos primeiros anos do século 21. Ampliou suas instalações e, em 2003, teve seu estatuto enfim publicado. Foi uma década também de grandes avanços científicos, com feitos como o deciframento do genoma do BCG, bactéria usada na vacina contra a tuberculose.

Uma trajetória de expansão, que ganhou novos passos nesta segunda década, com a criação de escritórios como o de Mato Grosso do Sul e o de Moçambique, na África. Um caminho que se alimenta de conquistas e de desafios sempre renovados.


Lei da Aprendizagem

Nº 10.097/2000, ampliada pelo Decreto Federal nº 5.598/2005. Determina que todas as empresas de médio e grande porte contratem um número de aprendizes equivalente a um mínimo de 5% e um máximo de 15% do seu quadro de funcionários cujas funções demandem formação profissional.

No âmbito da Lei da Aprendizagem, Jovem aprendiz é o jovem que estuda e trabalha, recebendo, ao mesmo tempo, formação na profissão para a qual está se capacitando. Deve cursar a escola regular (se ainda não concluiu o Ensino Médio) e estar matriculado e frequentando instituição de ensino técnico profissional conveniada com a empresa.

Como se inscrever no Jovem Aprendiz 2017

Cada empresa tem sua forma de inscrição. Clique aqui e digita o nome de sua cidade, ou empresa e veja vagas abertas próximo a você!